Um pouco da história de Armação dos Búzios

Armação dos Búzios, existem muitas pessoas que acreditam que esse jovem município possui pouco tempo de história. Com apenas 24 anos de existência a história desse município começou a ser estuda há bastante tempo.

No princípio

Em meados do século XVI, quando chegaram os primeiros exploradores europeus, a região de Armação dos Búzios era ocupada pelos povos indígenas os Tupinambás, que aqui praticavam a pesca, caça e o cultivo de mandioca (macaxeira ou aipim). Esses povos mantinham uma boa relação com os exploradores franceses, que tinham o objetivo de contrabandear Pau Brasil, pimenta e outros produtos da região.

A Praia das Caravelas recebeu esse nome, pois, ali teria aportado em 1503 o explorador Américo Vespúcio com suas embarcações. Já em 1555 Villegaignon veio a fundar a França Antártica, que durou cerca de 20 anos. Até que em 1575 os portugueses fundaram um exército e expulsaram os franceses da região, mas esse conflito vitimou cerca de 10.000 índios Tupinambás.

Anos depois, em 1617, os portugueses aliados com o povo indígena Goitácas expulsaram definitivamente os franceses da península e exterminaram os tupinambás. Com isso a pesca no litoral entre Campos e Maricá foi proibida, para que assim a região não pudesse se sustentar de forma independente.

Fato curioso segundo a história, ainda naquela época João Fernandes foi condenado a morrer no tronco em 1679, apenas por pescar em Búzios. Hoje o nome dessa importante figura da história batiza uma das praias da península.

Durante o século XVII Armação dos Búzios era uma pequena vila de pescadores com cerca de vinte casas que foram invadidas por ingleses e pelos franceses com isso Búzios acabou se tornando base para piratas lá se traficava Pau Brasil e ponto de desembarque de escravos trazidos da África. Ainda hoje existe na Praia de Manguinhos um cais feito de pedras por esses escravos.

Anos depois os franceses novamente foram expulsos de terras Búzianas pelos portugueses após uma disputa bem sangrenta.

O litoral entre os municípios de Campos e Maricá foi destinado à lavoura e à pecuária e lá começou o desembarque de negros trazidos da África para trabalhar nas fazendas da região.

Já em 1740, o empresário português Brás de Pina montou na península uma armação para a pesca de baleias, atividade que durou cerca de 50 anos. Quando um navio carregado de escravos escapou de um naufrágio, em 1743, Brás de Pina, considerou tal fato a um milagre atribuído a Santa Ana, e na região mandou erguer uma capela na colina que fica entre as Praias da Armação e a Praia dos Ossos em agradecimento pelo milagre.

Com a proibição do tráfico de escravos em terras brasileiras em 1850, o desembarque clandestino aumentou exponencialmente, já que mesmo a proibição a prática era muito lucrativa. José Gonçalves, um dos maiores traficantes negreiros da região continuou a fazer fortuna com a prática.

Em 1888 com a abolição da escravatura os ex-escravos fundaram a comunidade quilombola que é presente até hoje no bairro da Rasa.

No período entre o final do século XIX e início do século XX, Armação dos Búzios começou a receber inúmeros imigrantes portugueses em suas terras que logo se uniram ao grupo de pescadores locais para ensinar técnicas de pesca utilizadas no “Velho Mundo”. Nesse período também foi criada uma armação de peixes feita de Búzios (um tipo de estrutura para capturar peixes), que acabou por dar origem ao nome do balneário: Armação dos Búzios.

Naquela época era extremamente importante o uso de óleo de baleia para vários setores da economia, e nossa península também ficou bem conhecida pela a pratica da extração de óleo desses animais. Para que não tinha o conhecimento o óleo da baleia era muito utilizado para iluminação pública, construção civil e para exportação. Já seus ossos eram depositados ao lado da Praia da Armação, e devido esse fato ela passou a ser chamada de Praia dos Ossos.

Após a proibição da pesca de baleias, a região tinha como forma de renda a pesca e agricultura em pequena escala esse fato durou até meados do século XX.

Pouco antes de Briggite

Na década de 1930, o alemão Eugene Honold adquiriu algumas terras na região de Armação dos Búzios e tinha como objetivo a plantação e exportação de bananas, mas infelizmente um grande incêndio destruiu a plantação e Eugene deixou a cidade. Anos mais tarde em 1950 os herdeiros do empresário retornaram a península e fundaram a Companhia Odeon, a empresa começou a desenvolver um turismo seletivo, preservando a antiga arquitetura da cidade.

No início os turistas que queriam se hospedar na aldeia alugavam as casas dos pescadores da região. Aos poucos o pequeno vilarejo começou a crescer a mediada que ia sendo descoberto pelas elites carioca e paulista. Nesse momento começaram a surgir as primeiras casas de veraneio que na época eram concentradas na Praia de Manguinhos e na Praia do Centro.

Essa população de veranista sempre recebia em suas casas alguns amigos ilustres incluído políticos influentes na época e artistas brasileiros e do mundo. Com isso a fama de Armação dos Búzios cada dia foi crescendo mais e mais e turistas do mundo vinham nos conhecer o até então vilarejo. A fama da cidade foi atraindo cada dia mais turistas, e mais principalmente argentinos e franceses que se instalaram na cidade abrindo vários negócios por ela.

Bardot chega a Búzios

O ano era 1964 e Biggite Bardot uma das mais famosas modelo/atriz de sua geração. Tanta pressão com a fama mundial fez com que a linda estrela acabasse em terras búzianas. Briggite tinha como objetivo fugir dos papparazzis europeus e chegou na cidade no mês de janeiro, mas gostou tanto que ficou por 4 meses por lá. Nessa visita à cidade Briggite Bardot veio com seu, até então, namorado Bob Zaguri, um marroquino que vivia no Brasil.

A grande atriz ficou hospedada em uma casa que pertencia ao russo André Mouriaev, então representante da Organização das Nações Unidas no Rio de Janeiro, essa casa fica na Rua das Pedras onde e hoje funcionam uma pousada e um restaurante. Após isso, a atriz retornou a cidade onde passou o Natal hospedada na casa da família do cônsul argentino Ramon Avellaneda, também na Rua das Pedras, depois transformada na tradicional Pousada do Sol, ponto turístico da cidade

Claro que depois de tanto tempo hospedada em um vilarejo tão pequeno Briggite não tinha mais a privacidade que almejava quando chegou. Sendo assim, toda a grande imprensa mundial desembarcou na península apenas para fotografar os passos de Briggite através de um informante que também estava instalado na cidade. Tal alvoroço lançou Armação dos Búzios para o mundo.

Brigitte não foi a única famosa

Já em 1976 foi a vez do famoso astro do rock mundial Mick Jagger visitar Armação dos Búzios. Chegando ao balneário de limusine o vocalista dos Stones ficou hospedado na casa de Renata Deschamps (personalidade da época), na Rua das Pedras. O roqueiro chegou acompanhado por duas amigas do dia 11 de janeiro. Como que era de se esperar ele estava sempre cercado por muitas garotas, mas preferiu ficar sentado tocando violão apesar de sempre haver muito agito próximo a ele.

Búzios também é terra para presidente

Uma das estatuas famosas de Búzios está na Orla Bardot, e homenageia um dos nossos ex presidentes Juscelino Kubitschek. Segundo informações o presidente sempre estava por lá e sempre muito bem acompanhado ocupava uma suíte do casarão do século 18, que pertencia a seu ministro-chefe da Casa Civil, Osvaldo Penido.

O casarão no estilo colonial até hoje está de pé e guarda lembranças daquela Búzios pacata e remota e onde hoje funciona um restaurante.

Arte sempre presente

Devido a sua grande miscelânea de culturas por quase toda Armação dos Búzios é possível encontrar comércios com objetivos artísticos desde moda, a pinturas, artesanatos, esculturas e gastronômico.

A cidade toda é repleta de um mix de cores, tal fato deixa tudo com um ar bem irreverente a feliz.

Triste história

Nem só de fatos alegres preenchem a história de Armação dos Búzios. Ainda em 1976 a socialite mineira Ângela Diniz visitou a península com na época seu marido Doca Street. Quando em uma fatídica noite eles brigaram e ela acabou sendo morta.

Doca Street foi condenado a dois anos de cadeia, mas conseguiu o direito de cumprir a pena em liberdade. O argumento da defesa era de que ele teria agido em legítima defesa da honra e teria “matado por amor”. O argumento gerou polêmica na época. E militantes feministas organizaram um movimento cujo slogan – “quem ama não mata”.

A força dos protestos dos populares e o pedido de revisão do processo ao promotor levaram Doca Street a novo julgamento, em novembro de 1981. Nesse novo processo ele foi condenado a 15 anos de prisão em regime fechado, entretanto ele obteve liberdade condicional.

A invasão dos “Hermanos”

O turismo no balneário começou a realmente ser significativo quando nossos “hemanos“ e vizinhos continentais chegaram ao fim dos anos 1970. Muitos deles possuíam boas condições monetárias e se instalaram adquirindo propriedades na região. Lá estabeleceram residência fixa e abriram negócios.

Com a crise financeira os anos 1990 o ritmo de entrada de argentinos na cidade diminuiu, mas até hoje uma boa parte do comercio e da rede hoteleira e de pousadas da península é de propriedade dos “hemanos” argentinos.

Mas para quem acredita que em Armação dos Búzios existem somente brasileiros e argentinos. Se enganou na cidade também existem vários comerciantes franceses e italianos.

A emancipação

Para quem não sabia Armação dos Búzios era um distrito de Cabo Frio até 1995, mas naquela época o município de Búzios sofria muito com a negligencia dos governantes. Com tal insatisfação dos moradores e após algumas manifestações aconteceu um plebiscito em prol da emancipação do município.

Desde então, o município tem passado por obras de infraestrutura, sobretudo direcionadas para o desenvolvimento do turismo.

Gastronomia

Vimos até aqui que diversos países ajudaram no crescimento cultural de Armação dos Búzios, e tal fato se reflete muito bem na gastronomia do município. A cidade hoje possui cerca de 280 estabelecimentos gastronômicos, dentre eles estão incluídos restaurantes e bares. E é claro que por ser uma cidade litorânea os frutos do mar são o carro chefe da maioria desses estabelecimentos.

Na cidade você encontra pratos para os mais diversos paladares desde comidas japonesa, italiana, francesa e muitas outras.

Hoje a cidade conta com três grandes festivais gastronômicos. São eles: o Festival Gastronômico de Búzios, Festival da Sardinha e o Lagostando. Todos eles são ótimos para experimentar pratos dos melhores restaurantes da península e conhecer novos paladares.

Geografia

Para quem ainda não veio conhecer Armação dos Búzios a cidade é uma península na região dos lagos no Rio de Janeiro. A cidade é banhada pelo oceano atlântico e existem duas correntes marítimas que por ali passam, onde a parte sul (ou direita da península) possui águas frias provenientes da corrente fria das Malvinas, e a parte norte (ou a parte esquerda da península) possui águas mais amenas, pois, recebe a influência da corrente quente do Brasil.

Na cidade venta bastante, por estar em uma região de dispersão de ventos. Sendo assim, sua vegetação é semelhante à da caatinga com árvores baixas e vegetação com cactos e em sua maioria rasteira. Na região também existem várias enseadas que acabam se tornando praias perfeitas apenas para banho de mar como por exemplo: Praia do Forno, Praia Olho de Boi, Praia da Ferradura e a Praia da Ferradurinha. Na cidade também existem praias perfeitas para o surf tal como: Praia de Geribá e Praia Brava.

Clima

Armação dos Búzios possui um clima tipicamente tropical, com verões quentes e úmidos e invernos amenos e secos. Mesmo no inverno ainda é possível aproveitar bastante a cidade com suas praias e eventos que ocorrem lá.

Estatuas da Cidade

Armação do Búzios possui 3 grandes e icônicas estátuas. São elas a tradicional estatua em homenagem a Briggite Bardot, essa obra está localizada no fim da orla que leva também seu nome, a estatua dos três pescadores que fica na Praia da Armação e por último, mas não menos importante a estátua do nosso ex presidente Juscelino Kubitschek que também fica localizada na Orla Bardot.

Curiosidade

O nome de “batismo” da cidade foi Ponta dos Búzios devido grande presença de conchas desse molusco em suas praias.

 

Então, não faltam motivos para visitar esse município repleto de história.

Estamos te esperando!

 

Portais Fontes:

 

Wikipédia

Revista Rolling Stones

Prefeitura de Armação dos Búzios

O Globo

Deixe o seu comentário